quarta-feira, 6 de março de 2019

Aula 04 - Apologética e a defesa da fé.


1. Introdução. 

A Palavra "Apologética", deriva da palavra grega "Apologia", o que significa basicamente como defesa da fé. Em certa ocasião, João Calvino afirmou: "O cão late quando o seu dono é atacado. Eu seria um covarde se visse a verdade divina ser ataca e continuasse em silêncio, sem dizer nada".

Assim como observamos a aberração praticada dentro da maioria das igrejas descritas na aula anterior, que praticam um culto antropocêntrico, impregnados de louvores que não honram a Deus e marcados pela ausência de rigor teológico quanto à Palavra de Deus; sentimos a necessidade de mudar a rota e de mostrar aos cristãos que há um grande equívoco na fé que eles dizem que praticam. 

Defender a fé implica tão somente resguardar os fundamentos do verdadeiro Evangelho edificado por Jesus Cristo e pelos apóstolos da Igreja. Implica em tomar a Palavra do Senhor como a única regra de fé e prática. Implica em viver uma vida no padrão ético e moral que o Senhor estabeleceu ao seu povo.

2. Apologética e a sua aplicabilidade.


A ciência que defende a fé cristã faz-se necessária à medida em que muitos céticos atacam as doutrinas fundamentais da fé cristã, ou questionam até mesmo a existência do próprio Deus. Por outro lado, existem muitos líderes de igrejas chamadas evangélicas que corromperam completamente os princípios bíblico, inserindo em seus cultos elementos que não são orientados pelas Escrituras, e em pior das hipóteses, festas pagãs acrescidas do sufixo "gospel". 

Vivemos em um mundo cristão marcado pela presença de falsos mestres e falsos profetas, cujos ensinamentos se mostram incoerentes com a doutrina dos profetas do Antigo Testamento e dos Apóstolos de Cristo. Essas falsas doutrinas negam as verdades da fé cristã.

1 Pedro 3:15-16 diz: "antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor, com boa consciência, de modo que, naquilo em que falam contra vós outros, fiquem envergonhados os que difamam o vosso bom procedimento em Cristo".


Assim sendo, a missão da apologética cristã ainda é atual: defender o Deus Eterno e suas verdades; combater os falsos profetas e as suas doutrinas. Todo cristão deve ser capaz de defender a sua fé. Todo cristão deve ser capaz de dar pelo menos uma explicação básica de sua fé em Cristo. Nem todo cristão precisa ser um especialista em apologética, mas todo cristão precisa saber claramente em que acredita, compartilhar o que acredita e defender suas crenças de mentiras e ataques. 

3. Métodos de Apologética. 

Existem dois métodos básicos de apologética cristã:

3.1. Apologética clássica.

Envolve compartilhar evidências que comprovem a veracidade daquela mensagem bíblica. 

3.2. Apologética pressuposicional.

Envolve confrontar pressuposições (ideias previamente concebidas, suposições) por detrás de posições antibíblicas ou anticristãs. 

4. Princípio regulador do culto. 


Dentro daquilo que defenderemos ao longo dos estudos bíblicos a partir de hoje, é a oferta de um culto legítimos a Deus. Um culto centrado apenas em elementos bíblicos, e um culto que rejeite todas as aberrações que podem ser encontradas dentro das igrejas de hoje.

Conforme discutimos em estudos anteriores, vemos muitas luzes, muitas danças, muita gritaria, muitas músicas; e, pouca oração, poucos sermões construtivos, poucos sacramentos, pouca leitura da Palavra. É lamentável, mas a maioria das igrejas tem adotado elementos antibíblicos ou extrabíblicos para agradar seus seguidores e atrair adeptos, e tem se esquecido de tudo aquilo que Deus espera em culto oferecido a Ele.

Para tal, ainda tendo como referência o Catecismo de Westminster, vamos considerar como modelo de um culto genuíno, o Princípio regulador do culto. Para tal, gostaria de convidar a todos para ler o texto escrito pelos redatores do ministério Voltemos ao Evangelho, clicando aqui

Esta iniciativa, encontra-se no capítulo XXI da Confissão de Fé de Westminster e em "As Institutas" de João Calvino. Futuramente, voltaremos a tratar deste assunto em estudos oportunos. 

5. Considerações Finais.

É uma longa jornada o que se inicia a partir deste pequeno estudo. 

O que desejamos com a coluna "Apologeticus" (tradução grega de Apologético) é desconstruir este imenso no hall de asneiras, heresias, mentiras e paganismos que a maioria das igrejas contemporâneas de linha pentecostal e neopentecostal criaram. 

Desejamos apresentar o verdadeiro Evangelho de Cristo fundado sob os Apóstolos e retomado pelos reformadores da Igreja a partir do século XVI. Queremos mostrar o conhecimento que liberta para que nossos leitores possam firmar sua fé em estruturas sólidas e corretas.

É isso que você encontrará todas as quartas-feiras nesta coluna. 

Abraços fraternais, 
Carol e Fábio.
Quero ler toda esta mensagem.

E-Biblioteca

A nossa biblioteca virtual contem um vasto tesouro teológico. São uma infinidade de obras de diferentes autores sobre temas relevantes, disponíveis GRATUITAMENTE, para que você possa aprofundar seus estudos acerca das Escrituras. Para acessar nosso conteúdo, clique aqui.