terça-feira, 15 de agosto de 2017

Familia: Projeto de Deus


Bem, o assunto  abordado seria outro, mas senti imensamente o desejo de mudar. Quero falar sobre família.

Sempre fui muito envolvida com a igreja, com os trabalhos da igreja, e isso é o que realmente me satisfaz, me faz feliz. Estive em missões durante dois anos, fora o tempo que fiz curso no CTMQ (Centro de Treinamento Missionário Quadrangular) e eu me sentia, como me sinto extremamente realizada. Eu até brinco quando preciso sair para algum lugar com as amigas que não são da igreja ou até que são de outra igreja, até minha família mesmo, que primeiro tenho que ver se não tem nada na igreja, porque minha vida é  estar envolvida com a igreja e como não canso de falar, isso me faz extremamente feliz!

Em 2013 recebi um puxão de orelha forte de Deus. Fui para o CTMQ em 2011, depois fui servir à Igreja Quadrangular de Chavantes onde a pastora Edelba Barreiros é superintendente  da região, por este motivo fui enviada pra várias cidades, fora o trabalho local evangelístico que é fantástico! Uma igreja missionária de fato!

O ano de 2013 começou e tudo seguia seu curso normalmente, nesse ano, duas coisas poderiam acontecer em minha vida: eu seria levada à obreira e assumiria uma igreja logo no inicio de 2014 ou poderia me preparar e ser enviada ao Chile. Estava eufórica, radiante!

Mas Deus começou a me incomodar a respeito da minha família, da minha cidade e de que era hora de voltar. Falava assim, claramente, e eu dizia: - Não, não volto! Eu queria estar em qualquer lugar, menos em Guarulhos. Minha família estava passando por problemas sérios e tudo o que eu queria era acompanhar de longe, estava me omitindo. Deus me dizia: De que adianta você lutar tanto pelas pessoas e não fazer nada por sua família? De que adianta ganhar o mundo inteiro e perder sua família?

Chegou julho, mês de férias, e eu vim para São Paulo para ficar com a minha família. No caminho me sentia estranha, triste. Cheguei e não demorou muito a notícia: encontraram o meu avô morto, faleceu dormindo. E eu que estava ali e teria de dar a notícia pra minha mãe.

Aquele dia foi um dia muito difícil, triste.

E Deus falava: Fica! Eu já  tinha entendido e nesse tempo peguei um amor pela cidade de Guarulhos que nunca tinha tido. Mas não  obedeci, quando as férias acabaram, voltei para Chavantes a fim de cumprir minha palavra com a Pastora Edelba, que afinal me acolheu e me ensinou tanto. 

Foram dias difíceis, porque as pessoas não entendiam a minha decisão de voltar e até hoje creio que eles acham que eu retrocedi. Falavam tanto, que eu comecei a orar para Deus me preparar uma igreja em Guarulhos onde eu tivesse liberdade de trabalhar, que tivesse apoio, que Ele me ajudasse a conciliar trabalho com a obra; porque isso era o que me consumia, eu vivia pra pregar o Evangelho fosse através da dança, do teatro, da contação de histórias, da música. Deus supria todas minhas necessidades, era incrível!

Mas eu havia pulado uma etapa importante, que  é  a família. Os dias passavam e eu não via a hora de chegar ao final de novembro para voltar, porém, no mês de agosto eu fui surpreendida com minha mãe entre a vida e a morte, e os médicos não sabiam nem dizer o que ela tinha. Fiquei desesperada e Deus me falava: E aí? Vai voltar? Aquele dia, era uma terça feira e tinha Tarde da Bênção. Eu lembro que fui até o altar e chorei, chorei muito e dizia para Deus: Eu entendi, eu vou voltar, por favor, meu tempo aqui está acabando, sei que foi o Senhor que colocou minha mãe nesse leito de morte, mas por favor tire ela de lá, eu já entendi. E tocava: "Sim, eu amo a mensagem da cruz, até morrer eu a vou proclamar... Levarei eu também minha cruz até por uma coroa trocar..."

Deus me dizia: Não  importa onde esteja, o que importa é pregar minha palavra.

No outro dia, minha mãe recebeu alta, a mulher que estava entre a vida e a morte. Voltei e Deus preparou tudo!

No bairro em que moro, não há Igreja Quadrangular e como não  queria sair do ministério pensava em ir congregar em São Paulo, tenho alguns amigos missionários que estavam me dando todo o apoio.

Mais daí fui apresentada à Pastora Francisca e ao Pastor Antonio, meus pastores até hoje. Foi Deus quem preparou, porque a pastora que me apresentou a eles nem pertence mais à esta igreja. A igreja fica em Guarulhos, aproveito e te convido pra conhecer minha família espiritual: a Galera do Três. Tenho total liberdade para trabalhar para Deus.

Já  aproveito para dizer que não, o sonho de ir até os confins do mundo não  morreu, de ser pastora (não queria, mas se for... aprendi que tenho que dizer eis-me aqui!).

Mas TUDO tem o tempo!

E o tempo, por enquanto, é conciliar o que me realiza e o que me faz ser quem eu sou: servir, fazer missões e cuidar da família.

Já fazem 4 anos que voltei, quase quatro que sirvo à IEQ Galera do Três e amanhã tudo pode mudar. Mas hoje tudo isso é para te dizer: não  negligencie sua família.

Ame-os, fale do amor de Jesus para eles (Não só com palavras, mas com suas atitudes). Tire uma tempo para estar junto deles, pois a família é um projeto  de Deus!

"Agradeço a meu Deus toda vez que me lembro de vocês"._(Filipenses 1.3)

Endereço da IEQ  Galera do Três
Rua Nancy da Silva Cabral, 584
Pq. Continental 2- Guarulhos/ SP

Horários de Cultos:
Terça e Sexta: 20 h
Domingo:
Escola Biblica  9 h
Culto da Família: 18 h

O Fogo, a Água e a Oportunidade

Os três se encontraram, a oportunidade perguntou: -De onde vocês são?  E o fogo respondeu: -Eu estou nas guerras, nos vulcões,  ...