domingo, 13 de agosto de 2017

Dia dos pais: Nos tornando pais com excelência!

Irmãos e amigos, 
Que a paz esteja convosco!

Que dia especial, não é verdade? É um dia de vivermos as promessas do Senhor e curtirmos aqueles que são os responsáveis humanos pelo nosso sucesso: nossos pais. Eu me considero privilegiado, tenho dois!

Antes de iniciarmos a reflexão da Palavra do Senhor, quero honrar e homenagear publicamente o meu pai biológico, senhor Vanildo Xavier de Souza; e, meu pai de criação, senhor João Roberto Pereira dos Santos. Ambos são homens bons, honrados, trabalhadores e muito amados por mim. O meu desejo é que eles cresçam a cada dia, em todas as áreas, e se tornem sempre homens plenos e realizados. São os melhores pais que alguém poderia desejar. 

Vamos ver o que o Senhor tem para nós, neste dia especial? Leremos o texto de Lucas 15.11-24: E disse: Um certo homem tinha dois filhos; e o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o m’andou para os seus campos, a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; e trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se”.


Para nós que cremos no Evangelho, a Bíblia é um manual de fé e prática. Ela nos ensina tudo o que precisamos saber sobre como viver neste mundo e ser bem-sucedido em todas as áreas: física, familiar, financeira, espiritual e ministerial. 

A Palavra de Deus nos traz ricos conselhos sobre como conduzir uma família, e como ser um pai de excelência. Esta parábola que Jesus contou, chamada de Parábola do Filho Pródigo, traz importantes características de como podemos ser pais excelentes. Eu digo nós porque apesar de não ter filhos biológicos (risos) eu tenho muitos filhos espirituais, e ensino estes mesmos conselhos a eles. Vamos observar as dicas que Jesus nos deixou de como ser pais com excelência.

Primeiramente, podemos observar que o pai da história em questão era o provedor da casa. Ele era o dono das propriedades, ele as gerenciava, ele educava e mantinha financeiramente os filhos, ele administrava também os cuidados com seus empregados, que segundo a Palavra comiam e serviam muito bem. Precisamos assumir a responsabilidade como homens, de prover o sustento de nosso lar, de nossa família e de nossos funcionários. Os pais que não provém o lar financeiramente falha com a família em todos os sentidos e quem pagará o preço serão os filhos. 

A segunda característica que aprendemos com esta história, é que um pai de excelência ele provê a herança de seus filhos e reconhece o direito deles escolherem seus próprios caminhos. Quando eu digo herança, não estou dizendo dinheiro ou coisas materiais, mas também uma herança espiritual, ministerial. Uma herança que se trata de um legado pautado no caráter, na ética, nos ensinamentos construtivos que ele deixará para seus filhos. Precisamos refletir sobre que tipo de herança estamos deixando para nossos filhos. Perceba que quando o filho mais novo quis seguir seus próprios caminhos, o pai consentiu. Precisamos compreender que criamos nossos filhos para o mundo e para a sociedade, e não para nós mesmos. Um bom pai sabe quando é hora do passarinho deixar o ninho.

Em terceiro lugar, um bom pai é sacerdote e intercessor do lar. Ele aponta a direção correta, ele conduz a família na adoração e culto a Deus, ele transmite aos filhos suas experiências e valores. Quando o filho pródigo desperdiçou sua herança a ponto de padecer na miséria, ele sabia que nos braços de seu pai ele encontraria abrigo, conforto, consolo e perdão. A responsabilidade daquele pai era acolher novamente o filho e tratar suas feridas emocionais e sentimentais como um verdadeiro sacerdote do lar. Os pais, no Antigo Testamento, ofereciam sacrifícios pela família, pelos filhos. 

Em quarto lugar, um bom pai não condena seus filhos. Está disposto a perdoar, acolher e amar quantas vezes forem necessárias, assim como fez o pai da história do Filho Pródigo, que teve compaixão pelo sofrimento do filho, preferindo amá-lo e recebê-lo de volta à acusá-lo. 

Em último lugar, um pai de excelência ama igualmente todos os seus filhos. O pai da nossa história também amava o filho que escolheu ficar com ele, e quando o irmão rebelde demonstrou arrependimento, este pai decidiu restaurá-lo invés de julgá-lo. Mesmo sabendo que nossos filhos estão errados, nunca deixamos de amá-los. 

Queridos irmãos, nunca se esqueçam desse papel primordial que você exerce no Reino de Deus. Mesmo que você esteja em falha em uma ou mais destas características, não se menospreze... Você pode fazer diferente hoje! Não é por isso que você deixou ou deixará de ser um SUPER PAI!

Ame seus filhos, ensina a Palavra e os conduza ao Senhor. O Ministério Frutos de Justiça está aqui para te ajudar. Caso você deseje aprender um pouco mais sobre seu papel de pai e as responsabilidades atinentes a ele, no próximo dia 21, dando continuidade ao Estudo sobre o Livro de Provérbios (12 Lições de Sabedoria), abordaremos a Exortação Paternal deixada por Salomão. Outra ferramenta maravilhosa que criamos para te ajudar, é o Blog Geração de Valor, que vai ao ar no primeiro sábado de cada mês em nosso site. Ali abordaremos todos os assuntos referentes à nós homens, e você poderá tirar todas as suas dúvidas. 

Enfim... Vou parando por aqui para que você aproveite o dia com a sua família!

FELIZ DIAS DOS PAIS.

Abraços fraternais, 
Prof. Fábio Luiz.

O Fogo, a Água e a Oportunidade

Os três se encontraram, a oportunidade perguntou: -De onde vocês são?  E o fogo respondeu: -Eu estou nas guerras, nos vulcões,  ...