Armaduras espirituais: O Cinturão da Verdade

Irmãos e amigos, 
Que a paz esteja convosco!

Iniciamos hoje a nova fase de nosso departamento de ensino do Ministério. Estamos estruturando um projeto que irá abençoar a sua vida e a sua família. Começamos hoje e seguiremos todas as quartas-feiras neste projeto patrocinado pelo Núcleo de Discipulado e Consolidação deste Centro de Treinamento. 

Iniciaremos neste mês de Setembro uma série de ministrações referentes às armaduras espirituais, visto que vivemos em meio à uma batalha espiritual, e muitos cristãos têm sofrido ou até mesmo morrido por não saber como lidar e como lutar nesta batalha. 

Muitos dormem, estão desapercebidos e têm pago um alto preço por não usarem as armas adequadas para lutar. Vamos meditar sobre o que a Palavra do Senhor diz a este respeito: "Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estais, pois, firmes, tendo cingido os vossos lombos com o CINTURÃO DA VERDADE..." Efésios 6.13-14.


Ao escrever sua carta para os amados da Igreja de Éfeso, o apóstolo Paulo estava vivendo duas realidades. Uma realidade física, material, que era sua prisão em Roma, na qual ele aguardava por julgamento. A outra realidade era realidade espiritual, na qual ele sofria batalhas e lutas travadas por amor ao Evangelho. Paulo compreendia que esta batalha não seria vencida com armas materiais, mas com armas espirituais. 
      
Paulo tomava como exemplo um soldado romano. Os soldados romanos formavam um dos regimentos mais bem preparados em toda a história da humanidade. Roma se expandiu, conquistou terras e formou um grande império graças, em parte, aos seus soldados. Paulo percebeu que os soldados romanos eram bem preparados e bem equipados e era por este motivo que eles venciam inúmeras batalhas. 
      
Paulo traz esta realidade material para a sua realidade espiritual e ensina a Igreja de Cristo a preparar-se para as batalhas espirituais que elas teriam de enfrentar ao longo de sua história. Muitas vezes nós nos abatemos em meio às nossas guerras porque não estamos usando as armas corretas. Paulo diz no versículo 12 que "nossa luta não é contra carne e o sangue, mas contra principados, potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais"
     
O Apóstolo nos ensina e encararmos as batalhas espirituais e fircarmos firmes. Mais do que isso ele nos traz uma reveleção referente a cada parte da armadura de um soldado romano e nos ensina a aplicá-la nas nossas batalhas espirituais. Vamos nos dedicar algumas semanas a aprender estas importantes pérolas espirituais a fim de aplicá-las em nossas vidas e sermos vitoriosos.
      
A primeira lição que Paulo nos ensina é sobre o CINTURÃO DA VERDADE. O cinturão era formada por sete a oito tiras de couro e cobertos de metal. O cinturão protegia a virília do soldado e era através deste cinturão que o soldado romano era reconhecido e destacado em sua comunidade, como uma autoridade imperial. Outra importância do cinturão era firmar as outras peças da armadura e sustentar a espada. 
        
VERDADE meus irmãos, deve ser a base que sustenta a nossa vida. Nós, como cristãos, precisamos ser reconhecidos e destacados na nossa sociedade por haver verdade em nossa vida, nossos posicionamentos e nossas palavras. A verdade tem que ser o sustentáculo da nossa vida, das nossas atitudes e da nossa fé. Assim como a espada era sustentada no cinturão, a nossa espada que é a Palavra de Deus deve estar firmadas na verdade que há em nossa vida. 
         
É somente a verdade que nos liga à Jesus, cuja "justiça foi o cinto de seus lombos, e a verdade, o cinto dos seus rins" Isaías 11.5. A verdade possibilita que nós pratiquemos a Palavra de Deus e nos possibilita usarmos a Palavra de Deus para nos proteger dos ataques do inimigo em meio as batalhas. É a verdade que nos possibilita avançarmos para fazermos a vontade de Deus. Sem conhecer e praticar a verdade, o cristão fica desprotegido, vulnerável aos ataques do diabo, o Pai da mentira. 
       
Que nós, meus irmãos, possamos a partir de hoje basear a nossa vida, as nossas palavras, as nossas atitudes e os nossos sentimentos na verdade, para termos o respaldo de Deus em nossas batalhas. Eu convido você a continuar conosco e acompanhar no próximo domingo a segunda mensagem desta série de estudos, onde iremos aprender sobre a couraça da Justiça. 

Que Deus te abençoe.

Fique por dentro