domingo, 14 de fevereiro de 2016

Definindo a santidade

San.ti.fi.ca.ção s.f. 1 engrandecimento e valorização de algo 
ou alguém Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa


"Vi Deus face a face, e a minha vida foi mudada". _(Gêneis 32.30

Iniciaremos hoje, um estudo em quatro partes, que nos possibilitará compreender o que é a santidade. As Sagradas Escrituras nos trazem várias denotações a respeito desta Palavra. Desde a criação do homem, Deus chamou o homem à uma santidade, visto que Gênesis 1.26 diz: "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança". A partir daí aprendemos um príncipio: Deus criou o homem para possuir os mesmos atributos, as mesmas características morais dEle. Por tanto, a Palavra diz em Levítico 19.2: "Santos sereis, porque eu, o SENHOR vosso Deus, sou santo". A vontade de Deus é a nossa santificação: "Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação" (I Tessalonicenses 4.3).

Conforme dissemos acerca da criação, o propósito de Deus ao criar o homem era louvá-lo e para governar a terra. Entretanto a criatura voltou-se contra o criador e Adão desobedeceu a ordem dada por Deus. Mesmo assim Deus amou a humanidade e conseguia enxergar uma única esperança para tamanha rebeldia: entregar seu único Filho, Jesus Cristo, para morrer em prol da humanidade que havia se distanciado de Deus.

Jesus veio firmar uma nova aliança entre Deus e o homem através de Seu próprio sangue, trazendo-nos a oportunidade de reatar o nosso relacionamento e a nossa comunhão com Deus. Em Romanos 6.23, o apóstolo Paulo afirma que "O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuíto de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor". O pecado de Adão gerou uma maldição sobre a humanidade e as consequências de sua desobediência era a morte de toda a raça humana.

Hoje, graças a desobediência de Adão, a nossa natureza é pecaminosa. Já nascemos com o pecado impregnado em nosso DNA. É como uma doença hereditária. Porém a morte de Jesus na Cruz trouxe-nos a solução. Jesus reconciliou o homem com Deus e mostrou à raça o caminho a seguir para se obter um verdadeiro encontro com Deus. Porém o acesso à este caminho é a santidade. A condição para que esta nova aliança seja uma verdade em nossas vidas é a santidade: "Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados esconderam o seu de vós, de modo que não vos ouça" (Isaías 59.2). A santidade de Deus, portanto, não tolera pecado.

Citamos acima uma definição da palavra "santificação". Entretanto, santidade é diferente de santificação. Santidade é um estado e santificação é um processo. Hoje, conhecemos a Deus, frequentamos uma igreja, nos batizamos, e vivemos em santidade! Porém a Palavra diz que devemos buscar a santificação: "Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor" (Hebreus 12.14) e "Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda" (Apocalipse 22.11).

Parece confuso não? Vamos esclarecer! Quando conhecemos a Cristo, nos arrependemos de nossos pecados e entregamos nossa vida inteiramente a Ele, entramos em um estado de santidade. Nos tornamos imediatamente santo. Porém esta santidade é parcial, pois é uma santidade humana e, portanto, imperfeita. Esta santidade está relacionada à "separação" e não "perfeição". Quando entregamos nossas vidas à Cristo somos regenerados, possuímos um espírito recriado. Entretanto, a perfeição acontece de forma gradual, através de um processo (a santificação).

Portanto, a santificação, não se trata de uma perfeição impecável! Lembre-se que o pecado está em nosso DNA. É uma herança do pai Adão. Transgredimos a lei divina (seja ela conhecida ou não), às vezes, involuntariamente. NINGUÉM neste plano terreno consegue ser tão perfeito a ponto de ficar imune às transgressões involuntárias.

A santidade humana é um estado de separação total a Deus, dedicação total a Deus, vem de consagrado. Significa vivermos uma vida segundo a vontade de Deus, uma vida que agrade a Deus. O homem santificado opõe-se a todo pecado e anda conforme a Palavra de Deus. Esta santidade é uma ação puramente humana. Trata-se de uma decisão, de uma escolha nossa. Perceba que em 1 Pedro 1.16, o apóstolo reafirma a ordem de Deus: "Sede santos, porque sou santo". Porém, a decisão de sermos santos (separados) e buscarmos a santificação é completamente nossa.

A santidade humana ainda não é a santidade absoluta. O processo de santificação nos conduz à santidade absoluta, que somente poderá ser obtida por meio da Graça Divina, por meio da Justiça de Deus, quando chegarmos diante da face de Deus, em meio à Sua Glória, com o nosso corpo transformado, com o nosso caráter transformado, com nossas vestes alvas, totalmente glorificados. No dia deste tão sonhado encontro, receberemos a nossa coroa e o nosso galardão e enfim seremos completamente santos por toda a eternidade.

Uma decisão que mudança de vidas!

Antes que os espiões fossem dormir, Raabe subiu ao terraço e disse a eles:  — Eu sei que o Senhor deu esta terra a vocês, os...