sábado, 28 de novembro de 2015

A batalha dos deuses (5°parte)

 Que a paz esteja com todos,


Saiba que o poder do SENHOR destruirá o seu rebanho, que está no campo. Morrerão os cavalos, os jumentos, os camelos, os bois e as ovelhas. Porque Deus mandará uma praga gravíssima. (Êxodo, 9.7)

Já estamos na metade da nossa jornada de estudos, Hoje vamos falar de nós não só de um Deus mas, de 3 deuses Chamados de Ápis, Hathor e Amon.
Eu vou falar um pouquinho de cada um desses deuses. Não foi por acaso, Que Deus atingiu os animais do Egito. Porque cada um cada desses deuses tinha forma de animais.

. A primeira deusa Hator

Hator (em egípcio antigo ḥwt-ḥr, "recinto" ou "casa de Hórus"),[1] é uma deusa da religião do Egito Antigo que personifica os princípios do amor, beleza, música, maternidade e alegria.[2] É uma das divindades mais importantes e populares do Egito Antigo, venerada tanto pela realeza quanto pela população comum, em cujas sepulturas é descrita como a "Senhora do Ocidente", que recebe os mortos na próxima vida.[3] Entre suas outras funções está a de deusa da música, dança, terras estrangeiras e fertilidade, responsável por auxiliar as mulheres durante o parto,[3] bem como o de padroeira dos mineiros.[4]

 Tudo indica que essa deusa era adorada pelas mulheres do antigo Egito, Tudo indica que era de um formado de uma vaca ou uma mulher com a cabeça de vaca, ela simbolizava a deusa da Alegria. Mas para nós único Deus que nos traz alegria é o Deus de Israel.  Ele que nos traz alegria a Bíblia diz que até a tristeza salta de alegria na presença do Senhor.

O SENHOR é a minha força, o escudo que me protege de qualquer perigo. Nele eu confio de todo o meu coração e dele recebo ajuda. Por isso, estou cheio de alegria e louvarei o Senhor com as minhas canções. (Salmos, 28.1)
 O segundo deus é Amon



Por volta do ano 2 000 a.C., Ámon era o principal deus dos egípcios. Seiscentos anos mais tarde, o Faraó Aquento preocupado com o grande poder que os sacerdotes deste deus tinham alcançado, tentou substituir o seu culto pelo de Átona. Porém, à sua morte, o seu sucessor, o Faraó Tutancâmon, fez com o todo o Egito passasse a prestar de novo culto a Ámon. O culto a este deus haveria de acabar definitivamente quando os assírios, no ano 663 a.C., conquistaram Tebas e impuseram o culto aos seus deuses.

O deus Ámon era acompanhado de sua mulher Mutã (representada num corpo de mulher, mas com cabeça de abutre ou coroas). Esse deus simbolizava que dava vida aos animais, parece que os rebanhos nascessem com saúde e por isso, que Deus mostrou o seu poder porque só ele Deus da saúde para todos os animais!
Identificado com o sol, era representado de várias formas: como animal, como homem com cabeça de animal ou como um homem normal com um barrete encimado por duas grandes plumas. Os animais a ele associados eram o ganso e o carneiro. Por isso, este deus podia ser representado sob estas formas, embora a de ganso fosse muito rara. Os sacerdotes que prestavam culto a este deus vestiam túnica branca com capa de pele de leopardo, tinham de raspar a cabeça e não podiam caçar animais relacionados ao deus, nem usar peruca.
A todos os animais em que há fôlego de vida, ou seja, a todos os animais selvagens, a todas as aves do céu e aos animais que rastejam pelo chão dou todos os vegetais como alimento. E assim foi. (Gênesis, 1.30).

 O terceiro deus é o Ápis

Na antiga religião egípcia Ápis (Hapi-ankh) é a personificação da Terra.

O "morto-vivo" (Osíris) encarnou num touro branco sagrado. Era o touro de Mentis. Simbolicamente representado como um touro negro com um triângulo branco na testa e o disco do sol entre os chifres.

Seu culto está associado com Path.

O local onde eram enterrados os seus touros sagrados levava o nome de serpe.

O escritor satírico Luciano de Samanta ridiculariza o culto a Ápis, comentando que quando grande deus Ápis morre, cada homem corta o seu cabelo; em seguida, através de uma eleição, um dos touros que estão no pasto é levado para o templo, pois a sua beleza superior e porte majestoso mostram que ele é mais que um touro.

O deus Ápis simbolizava a força e a proteção dos rebanhos Ápis era tão adorado pelo povo egípcio que quando morria um touro Ápis. Tinha que colocar outro com as mesmas características físicas iguais.   O touro Ápis que morreu tinha que ser embalsamado como um faraó.
 Com essa praga Deus mostrou a sua força e poder só ele tem todo o poder sobre todos e tudo que existe.
. Mas os que esperam no SENHOR sempre renovam suas energias. Sobem, voando como águias; correm e não se cansam, caminham e não perdem as forças. (Isaías, 40.31)




A Alegria do Senhor - CD Teus Sonhos - Fernandinho























Deus acredita no seu chamado, e você?

E José disse: — Cheguem mais perto de mim, por favor. Eles chegaram, e ele continuou: — Eu sou o seu irmão José, aquele que vocês v...