domingo, 2 de agosto de 2015

O mérito não foi de Israel



Amados irmãos, 
Que a Paz esteja convosco

Gostaria de meditarmos nesta manhã de primícias através deste texto: “Ouve, ó Israel, hoje passarás o Jordão, para entrares a possuir nações maiores e mais fortes do que tu; cidades grandes, e muradas até aos céus; um povo grande e alto, filhos de gigantes, que tu conheces, e de que já ouviste. Quem resistiria diante dos filhos dos gigantes? Sabe, pois, hoje que o Senhor teu Deus, que passa adiante de ti, é um fogo consumidor, que os destruirá, e os derrubará de diante de ti; e tu os lançarás fora, e cedo os desfarás, como o Senhor te tem falado. Quando, pois, o Senhor teu Deus os lançar fora de diante de ti, não fales no teu coração, dizendo: Por causa da minha justiça é que o Senhor me trouxe a esta terra para a possuir; porque pela impiedade destas nações é que o Senhor as lança fora de diante de ti. Não é por causa da tua justiça, nem pela retidão do teu coração que entras a possuir a sua terra, mas pela impiedade destas nações o Senhor teu Deus as lança fora, de diante de ti, e para confirmar a palavra que o Senhor jurou a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó. Sabe, pois, que não é por causa da tua justiça que o SENHOR teu Deus te dá esta boa terra para possuí-la, pois tu és povo obstinado”. Deuteronômio 9.1-6

Nos quatro primeiros livros da Bíblia podemos acompanhar a promessa que Deus faz ao Seu povo, ao povo que escolheu para si como herança. A trajetória de Israel inicia-se com sua saída do Egito e sua passagem no deserto. O final do livro de Números relata o povo defronte ao Rio Jordão, prestes a atravessá-lo e entrar na Terra Prometida, Canaã. No livro de Deuteronômio, com toda a nação de Israel posicionada à entrada de Canaã, Moisés aproveitou a última oportunidade de preparar o povo para sua nova vida na Terra Prometida. Moisés relembra os israelitas de toda a trajetória do povo escolhido e exorta-os, ministrando as últimas instruções antes de eles conquistarem e tomarem posse da Terra. Visto que o profeta não entraria na terra com os israelitas, ele queria garantir que toda a nação não se esquecesse da aliança com Deus, fazendo uma cuidadosa recapitulação das leis de Deus. 

Ao longo dos cinco primeiros livros da Bíblia podemos observar que os israelitas tiveram que enfrentar vários povos inimigos ao longo de sua trajetória, povos estes que também queriam a Terra que pertencia a Congregação de Israel por direito. E em todas as batalhas o Senhor se fez presente a vitória foi de Israel. O Senhor sempre mostrou seu braço forte e sua benevolência em favor deste povo, mesmo que eles não merecessem por serem casa rebelde. Recentemente eles haviam vencido os moabitas, ocasião mencionada na mensagem anterior, onde os homens de Rúben e Gade se recusaram a avançar para Canaã, preferindo habitarem naquela terra. 

Na preparação para entrar na Terra que mana leite e mel, Moisés afirma o povo que eles teriam que lutar contra gigantes para conquistar Canaã. Este “povo grande e alto, filhos de gigantes” mencionados por Moisés, corresponde aos enaquins. Os enaquins eram descendentes dos fundadores de Hebrom e são registrados historicamente por serem guerreiros poderosos e invencíveis. Homens temidos em toda a região da Mesopotâmia. Porém, Deus garantira a vitória aos israelitas. O Senhor afirma que os gigantes seriam subjugados e exterminados e a terra pertenceria, definitivamente, à Nação Eleita. 

Entretanto, o Senhor faz um alerta àquele povo: “Quando isto acontecer... Quando o Senhor destruir os enaquins na sua frente, quando o Senhor subjuga-los e entrega-lo em suas mãos, não digam que foi por mérito de vocês! Não diga que foi por justiça própria!”. 

O Senhor chama a atenção dos hebreus, para que estes considerem a futura ocupação de Canaã como um presente da Graça Divina, e não como resultado de qualquer ação praticada por eles mesmos. As razões para a conquista desta terra eram a extinção da imoralidade praticada pelo seu povo e o cumprimento das promessas que Deus fizera a Abraão, Isaque e Jacó. Podemos concluir, então, que Canaã não era uma recompensa para os israelitas pelo mérito de algo que tivessem feito. Ao contrário, desde a primeira geração do êxodo se mostraram um povo obstinado e rebelde. Em virtude disto, a história de Israel é marcada de insatisfações, murmurações e desobediência. Senso assim, Moisés queria fazer com que aquela nação não se esquecesse de que eles não eram merecedores de coisa alguma nem pensasse que eram dignos faz bênçãos divinas. 

Baseado nisto, a mensagem que o Senhor quer trazer hoje para os amados é bastante simples. O Senhor tem nos abençoado como Seu povo. Frequentemente chegam até nós testemunhos de milagres, de cura, de bênçãos, de prosperidade. Só que na maioria destas, as pessoas atribuem a vitória e o seu sucesso como se fossem seus méritos pessoais. 

É muito comum ouvirmos frase do tipo: “Graças ao meu esforço, graças à minha dedicação consegui aquela promoção”, “Graças ao meu trabalho conquistei este ou aquele bem”, “Graças aos meus estudos consegui uma colocação no mercado de trabalho”. Ou então, ouvimos famosas frases como “o fulano foi curado porque EU orei”, “Eu profetizei, eu determinei e aconteceu!”, “Graças a minha fé a bênção chegou”, “Hoje eu vou pregar e o fogo vai cair” ou então “Vou pregar e Deus vai derramar o seu poder”. 

Vocês já ouviram estas frases, meus irmãos? Talvez você já disse algumas dessas frases não é mesmo?! Muitos que estão lendo esta mensagem ainda pensam assim. Muitos acreditam mesmo que as coisas vão acontecer só porque ele determinou... engano irmão! O milagre chegou, a porta se abriu, a benção o alcançou, o sinal aconteceu por causa da GRAÇA, da MISERICÓRDIA e do FAVOR de Deus e não por seus próprios méritos. 

O Senhor disse à Israel: “- Não foi por causa da sua própria justiça!”. Irmãos, os milagres acontecem por causa do favor de Deus e por causa de Sua fidelidade às promessas que Ele mesmo liberou! Eu quero ser um Moisés de Deus para você agora: As bênçãos do Senhor vão te alcançar em 2015. O milagre vai bater a sua porta. Nós profetizamos aqui nos treze primeiros dias do ano eu este ano será um ano de bênçãos, de realização e de conquista. 

Eu posso te afirmar com certeza que estas bênçãos vão te alcançar e que você será bendito. Mas quando isso acontecer não fique aí todo orgulhoso e arrogante, batendo no peito e achando que tudo isso aconteceu por causa de seus próprios méritos e por causa do seu esforço. Não fique aí achando que aconteceu porque você é merecedor de alguma coisa... Aconteceu por causa da fidelidade e da bondade de Deus sobre sua vida.

“Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outro não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura”. Isaías 42.8

Que Deus te abençoe e uma excelente semana.

O Fogo, a Água e a Oportunidade

Os três se encontraram, a oportunidade perguntou: -De onde vocês são?  E o fogo respondeu: -Eu estou nas guerras, nos vulcões,  ...