A Semeadura e a Colheita

 

As palavras de Jesus citadas na leitura de Marcos 16.1-9, nos coloca bem posicionados especialmente nesta parte do país onde existem muitos agricultores. Como filho de agricultor nascido e criado na lavoura, desde os primeiros passos meus pais me levavam para a roça (lavoura) e enquanto eles faziam o trabalho pertinente à atividade laborativa, os filhos ficavam debaixo dos pés de café sob suas sombras, e a partir dos sete anos já os acompanhávamos também no trabalho. Lembro-me de quando viemos para o Estado do Nordeste (1953) deparamos com apenas a área demarcada para ser preparada. Esta preparação dependia da derrubada do mato, corte das madeiras grossas, o ajuntamento dos galhos em montes contínuos, a queimada, novamente se juntava os galhos e queimava (desencoivarar), depois arrancava os tocos, raízes o mato que nascia e depois de preparado o solo vinha à semeadura.

O acompanhamento diário do nascimento da erva daninha era com muito cuidado para que não sufocasse a semente, e até a sua colheita e para se conseguir uma boa produtividade, não podia perder nada, especialmente naquela época, pois havia período em que as chuvas duravam período de até quarenta dias. Por que foi procedida esta colocação? Jesus ao proferir esta parábola à multidão que o assistia, citou exatamente sobre a comparação da pregação do evangelho com a atividade do agricultor.

Disse Jesus: (MARCOS 4.3-9) Ouvi: Eis que o semeador saiu a semear; e aconteceu que, quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho, e vieram as aves e a comeram. Outra caiu no solo pedregoso, onde não havia muita terra: e logo nasceu, porque não tinha terra profunda; mas, saindo o sol, queimou-se; e, porque não tinha raiz, secou-se. E outra caiu entre espinhos; e cresceram os espinhos, e a sufocaram; e não deu fruto. Mas outras caíram em boa terra e, vingando e crescendo, davam fruto; e um grão produzia trinta, outro sessenta, e outro cem. E disse-lhes: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Quantas vezes nós encontramos os nossos amigos e o convidamos para ouvir da Palavra de Deus nos acompanhando até um lugar de reunião, de uma igreja onde por um pequeno espaço de tempo ele nos ouve e atende ao pedido, nos acompanha ouve a mensagem, estudo da Palavra de Deus e ao findar nos retornamos podendo ou não tecermos comentários sobre o que ele ouviu. O que se segue é que esta pessoa comparada a semente semeada à beira do caminho, após lançada não sendo em boa terra vem as aves e a come, ou é pisada e perde a seu vigor, não germinando, pois esmagou. Pode ser comparado também a semente lançada em solo rochoso. Esta semente encontra um pouco de terra chegando a germinar, mas vem o sol e por não ter raízes profundas morreu. Comparamos esta pessoa a semente lançada entre os espinhos.

Os espinhos cresceram mais que a planta e por não ter vigor foi sufocado e morreu. A semente plantada em boa terra, cujo agricultor usou do seu tempo para a preparação do solo para que recebesse as condições de semeadura. A semente é lançada e por não ter a erva daninha, ser bem cuidada, esta semente produz a cinquenta a cem por um.

Amigos, como nós temos assimilado a ordem de Jesus?

Por último, então, apareceu aos onze, estando eles reclinados à mesa, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem dado crédito aos que o tinham visto já ressurgido. E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. _(Marcos 16.14-16)

Como temos tratado as pessoas que estão à nossa volta? Temos testemunhado, semeado a semente do evangelho da salvação? Somos pessoas merecedoras de confiança? As pessoas nos têm ouvido e tem atendido o chamado, eles são como a boa semente plantada em solo fértil ou são sementes lançadas à beira do caminho, em rochas ou espinheiros? O que temos feito para ganharmos estas vidas?

Precisamos tomar muito cuidado para não sermos envolvidos em convites que venham comprometer a nossa fé e não venhamos perder a credibilidade de quem queremos ganhar para Jesus. Assim é a semente lançada em solo fértil, água abundante e no devido tempo o agricultor (Jesus) vem e colhe e leva para o celeiro eterno.

Amado amigo leitor, não sei qual a tua experiência em semear, mas quero lhe afirmar que a semente só poderá se tornar uma planta e produzir, se a semente morrer, deixa de ser semente e passa a ser planta frutífera. Lendo em (LUCAS 8.1-3) vemos mulheres que ouviram a pregação de Jesus, muitas foram curadas e passaram a auxiliar a Jesus. Assim também nós precisamos fazer. (JOÃO 8.47) Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso vós não as ouvis, porque não sois de Deus.


ORAÇÃO - Senhor Jesus, tens confiado a pregação da Tua palavra a muitas pessoas, mas não são poucos os que não querem ouvir, outros ouvem, mas não querem crescer, mas louvamos o Teu nome porque muitos tem ouvido creem e tomam a decisão para estar em Vosso caminho. Por isso abençoe a tantos quantos aceitam o Teu nome. Oro agradecido por Cristo Jesus. Amém.

Fique por dentro