sexta-feira, 3 de julho de 2015

Dia 03 - A qualidade do vaso.


"Esta é a Palavra que veio a Jeremias da parte do Senhor: Vá à casa do oleiro, e ali falarei contigo. Então fui à casa do oleiro, e o vi trabalhando com a roda. Mas o vaso de barro que ele estava fazendo se quebrou em suas mãos; e ele o refez, moldando outro barro conforme a sua vontade. Então o Senhor dirigiu-me a palavra: Ó casa de Israel, será que eu não posso agir com vocês como fez o oleiro? Pergunta o Senhor. Como barro nas mãos do oleiro, assim são vocês em minhas mãos, ó casa de Israel". Jeremias 18.1-6

Todo aquele que tem um encontro com o Senhor Jesus em determinado momento de sua vida irá experimentar o processo prático de ser um vaso de barro nas mãos do oleiro. 

Para alguns o provesso pode até ser mais simples, pois a pessoa abre o coração para Jesus e permite que o Espírito Santo trate com sua vida, moldando o caráter cristão, eliminando as sujeiras que podem ser: pecados, maninas, medos, traumas, orgulho, vaidade, ira, remorso, falta de perdão; enfim, a lista pode ser longa e todo tratamento é feito seguindo a vontade do Senhor. Mas essas pessoas não são melhores do que outras. Sim, as que se deixam tratar logo de imediato, apenas abrem o coração integralmente ao Senhor Jesus, são como uma terra boa que recebe bem a Palavra e os benefícios que vêm ao colocá-la em prática, conforme Mateus 13.8: "Outra ainda caiu em boa terra, deu boa colheita, a cem, a sessenta e trinta por um".

Lembre-se que o vaso é feito com o barro que nesse caso vem de uma terra de boa qualidade. E quanto a grande maioria vem de terras de não tão boa qualidade, conforme Mateus 13.4-7: "Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram. Parte dela caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; e logo brotou, por que a terra não era profunda. Mas quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. Outra parte caiu em espinhos, que cresceram e sufocaram a planta". Estes, estão sempre sujeitos ao que as pessoas e a sociedade em geral dizem. Seus corações encontram-se endurecidos, são descrentes, inconstantes, vivem uma vida cristã imatura e sempre cheia de altos e baixos. 

Sendo assim, até mesmo para o oleiro, o processo será arduo e mais trabalhoso, pois o vaso será construído e desconstruído vários vezes, em um manejo de amassar, fazer e refazer quantas vezes forem necessárias e tudo isso em apenas um vaso; diferenciando-se o tratar dentre os vários disponíveis e que precisam ser moldados. Mas, vejo um lado muito positivo em tudo isso: Se o oleiro insiste tanto em um material que parece não ser tão bom e cheio de imperfeições é porque ele mesmo, como um excelente profissional, busca sempre os melhores resultados e não se dá por vencido até seu trabalho ser concluído com perfeição e qualidade. 

Quanto mais dificil para se terminar, mais raro e valioso é o produto final. Será de tão alto valor como o ouro e tão raro como o ouro de Ofir; conforme Isaías 13.12: "Tornarei o homem mais escasso do que o ouro puro, mais raro do que o ouro de Ofir". 

Segundo o Apóstolo Paulo em 2 Coríntios 4.7: "Mas temos esses tesouros em vasos de barro, para mostrar que este poder que a tudo excede provém de Deus, e não de nós", o verdadeiro valor vem de quem faz e daquilo que o vaso é cheio, através da presença de Deus em nossas vidas.

Que Deus te abençoe. 

Uma decisão que mudança de vidas!

Antes que os espiões fossem dormir, Raabe subiu ao terraço e disse a eles:  — Eu sei que o Senhor deu esta terra a vocês, os...