Canaã, e não Moabe!

Amados irmãos,
Que a Paz esteja convosco!

Encerramos com maestria, no último domingo, a segunda edição do Projeto de Vida 2015. Fomos ministrados por Palavras gloriosas! Neste domingo, o Senhor tem uma Palavra ao nosso coração, para consolidar e nos ensinar a sermos vitoriosos em todas as coisas. Meditemos neste texto: “E os filhos de Rúben e os filhos de Gade tinham gado em grande quantidade; e viram a terra de Jazer, e a terra de Gileade, e eis que o lugar era lugar de gado. Vieram, pois, os filhos de Gade, e os filhos de Rúben e falaram a Moisés e a Eleazar, o sacerdote, e aos chefes da congregação, dizendo: Atarote, e Dibom, e Jazer, e Ninra, e Hesbom, e Eleale, e Sebã, e Nebo, e Beom, a terra que o Senhor feriu diante da congregação de Israel, é terra para gado, e os teus servos têm gado. Disseram mais: Se achamos graça aos teus olhos, dê-se esta terra aos teus servos em possessão; e não nos faças passar o Jordão”. Números 32.1-5


O cumprimento da promessa de Deus para os israelitas estava condicionado a três etapas: A primeira etapa era sair do Egito. Aquele povo foi vítima de quatrocentos anos de julgo e o Senhor lembrara através de Moisés, da aliança que Ele tinha com aquele povo e que Ele os faria habitar em uma terra que mana leite e mel. Os israelitas saem do Egito e passa pela segunda etapa, que era enfrentar o deserto. No caminho entre o Egito e Canaã havia um deserto e de tal forma o caminho à nossa promessa possui também um deserto. Diferentemente do que as pessoas pensam o deserto não é um lugar ruim. O deserto é o lugar onde provamos a nossa confiabilidade diante de Deus. O deserto é uma escola! O deserto é lugar de provisão e fidelidade de Deus! O deserto é lugar de sinais, maravilhas e milagres. 

E ao sair do deserto, aquele povo teria que enfrentar a última etapa: entrar em Canaã e tomar posse da promessa. Simples, não?! Os israelitas ao saírem do Egito foram infiéis a Deus e o coração obstinado daquele povo os levou a serem reprovados na escola do deserto. Entretanto, a promessa do Senhor continuava “de pé” para a segunda geração de israelitas. 

O caminho no deserto foi longo, muito longo! Eles passaram e acamparam por diversas regiões até que eles tiveram que fazer a última prova da escola chamada de deserto: lutar contra os moabitas, na região de Gileade, próxima ao rio Jordão (pertinho da terra prometida). O Senhor estava com aquele povo e eles não só venceram a batalha como dividiram todos os despojos dos moabitas. O próximo passo era muito simples amados, atravessar o Jordão e entrar em Canaã (a Terra Prometida à Abraão, Isaque e Jacó). 

Depois de tantos anos de luta, de deserto e de peregrinação, finalmente a promessa está lá: na frente dos olhos deles, muito próxima! Inacreditável, até parece mentira... tantos e tantos anos de ansiedade finalmente chegaram ao fim. Até que... de repente... os homens da tribo de Gade e da tribo de Ruben percebem que a terra de Moabe era muito boa para engordar o gado e procuraram a Moisés pedindo se eles poderiam ficar por ali mesmo. 

Fale a verdade amado irmão, não parece uma piada de mal de gosto? A terra abençoada, que mana leite e mel, a terra próspera que já pertencia a eles por herança e por promessa estava à alguns passos a frente e eles queriam ficar ali! Nos versículos 6 a 15, Moisés repreende aqueles homens lembrando-os de seus antepassados, que infamaram a terra diante da Congregação, que duvidaram da promessa do Senhor, que se rebelou contra Deus e morreram no deserto. Moisés adverte aqueles homens, dizendo-os que eles estão seguindo o mesmo caminho de seus antepassados. 

Aqueles homens fizeram uma espécie de “aliança” com Moisés. Afirmaram que eles iriam ajudar o povo atravessar o Jordão em segurança, que eles iriam conduzir o povo até a Terra Prometida em Canaã, que eles iriam pessoalmente cuidar para que aquele povo tomasse posse de seu território em Canaã, mas que depois eles voltariam para a região de Moabe: “Porém nós nos armaremos, apressando-nos adiante dos de Israel, até que os levemos ao seu lugar; e ficarão as nossas crianças nas cidades fortes por causa dos moradores da terra. Não voltaremos para nossas casas; até que os filhos de Israel estejam de posse, cada um, da sua herança. Porque não herdaremos com eles além do Jordão, nem mais adiante; porquanto nós já temos a nossa herança aquém do Jordão, ao oriente”. Números 32.17-19.

Meus irmãos, que loucura! Aqueles homens estavam praticamente às portas da Terra Prometida. Era somente atravessar o rio Jordão até o outro lado e pronto! Acabava ali a peregrinação e o sofrimento. Eles estavam prestes a conquistar uma promessa de uma vida inteira e agora eles estavam dispostos a “jogar tudo para o alto”. Tudo por quê? Pela comodidade! Porque Moabe tinha a terra boa para engordar o gado! Que futilidade irmãos! 

É indignante como hoje muitos de nós tomamos posicionamentos assim! Deus quer nos dar o melhor! Deus tem uma Terra Prometida para nós, mas nós queremos ficar em Moabe. Deus nos diz: “ – Atravesse o Jordão e conquiste a Terra” mas nós respondemos: “ – Não, Senhor! Permita que eu fique aqui em Moabe mesmo!”. 

Amados, Deus tem coisas grandes para nós, mas as vezes nós queremos as coisas pequenas e insignificante. Deus tem uma Canaã de promessas, mas nós nos contentamos em ficar em Moabe. Passamos por todo o tratamento, saímos do Egito, enfrentamos o deserto, vivenciamos todo o processo de provisão e fidelidade de Deus, mas quando estamos prestes a chegar em Canaã, há um passo de nós, mas queremos ficar em Moabe. 

As vezes vemos pessoas que estão prestes a conquistar as promessas, até as ajudamos, aconselhamos, estamos juntos, lutamos juntos, “atravessamos o Jordão” com elas; mas quando chega o momento de conquistar a vitória queremos voltar para Moabe. Amados, podemos aprender algumas lições com essa história:

1. Aqueles homens eram muito ricos e possuíam muitos gados. O interesse deles em Moabe era econômico: Às vezes abrimos mão das promessas de Deus por causa de nossos próprios interesses.

2. A promessa de Deus é para quem persiste ATÉ O FIM! Deus chamou o povo para habitar em Canaã e não em Moabe. Deus só respalda aquele que cumpre sua Palavra TOTALMENTE. Ele não poderá fazer nada por você se você quiser habitar em Moabe.

Que você possa meditar nesta simples Palavra e perceber que muitas vezes a promessa de Deus está diante de nós, e em uma atitude precipitada e mesquinha, abrimos mãos dela e jogamos fora a promessa pela qual lutamos há anos. Por isso, muitos, hoje, estão infelizes e frustrados dentro das igrejas, porque rejeitaram a promessa de Deus para viver em Moabe, para serem pequenos e medíocres. 

Que Deus te abençoe e uma ótima semana.

Fique por dentro