Vencendo a sequidão: um sopro de vida

"Assim diz o Senhor Deus a estes ossos: Eis que farei entrar o espírito em vós, e vivereis". (Ezequiel 37.5)

Viver: "Experimentar, vivenciar" (Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa).


Amados irmãos e amigos,
Que a Paz esteja convosco!

Para uma melhor compreensão sobre o que Deus quer tratar com nossa alma neste dia é necessário compreendermos uma parte da trajetória de Ezequiel e o que levou o Senhor a dizer tais Palavras. 

Ezequiel era um sacerdote , contemporâneo ao reinado de Jeoaquim (Ver II Reis 24.8), que estava exilado em Tel Aviv. Ezequiel recebeu o chamado profético no auge de seu ministério, passando a exercer uma posição muito significativa entre os anciãos locais, tornado-se a partir deste momento, um porta-voz de Deus junto ao povo exilado. 

Este momento, foi um momento de grandes mudanças sociais e políticas, marcado pela infidelidade dos israelitas. Ezequiel contemplou uma dura realidade, tendo anunciado a irremediável destruição de Jerusalém, umas vez que a Cidade Santa abrigava o  maior número de irregularidades, crimes e injustiça dos israelitas contra Deus. A profecia se cumpriu e Nabucodonosor sitiou a cidade e destruiu o templo de Salomão.

A partir de então, a missão do profeta Ezequiel constituiu em conscientizar Judá sobre as verdadeiras causas do desastre sofrido e chamá-los a responsabilidade de seus atos, que agora não era mais coletiva, mas individual. Cada indivíduo daria conta a Deus de seus próprios atos e o peso dos pecados coletivos culminou na destruição de Jerusalém. Para Ezequiel, o desastre babilônico seria como um regresso ao Êxodo e agora com o desterro da Babilônia, aquele povo haveria de sair dali purificado, com uma mentalidade nova.

Ao mesmo tempo em que Ezequiel anunciou a punição, ele também anunciou a esperança e o renovo. Anunciou que o povo de Deus disperso, seria reunido novamente e conduzido a Terra Prometida e o arrependimento dos remanescentes fiéis resultaria na reconstrução de Israel a partir de ossos secos. Deus mostrou a Ezequiel a visão dos ossos secos, onde à medida em que ele profetizava, ocorria a regeneração dos ossos secos, formando um grande exército. 

Podemos tirar algumas lições com a História de Judá no que se refere à trajetória de Ezequiel: 

1. Ezequiel nos ensina que cada um de nós temos uma responsabilidade diante de Deus! Assuma o peso de seus atos! Quantas vezes você tem errado e colocado a culpa em outras pessoas? Muitas vezes, todo o desastre que temos anunciado, são consequência de nossos atos e é necessário assumirmos isso para que haja restauração.

2. Ezequiel nos ensina que embora Deus seja relutante em aplicar disciplinas severas, Ele deve fazê-la, pois é justo e zeloso! Muitas pessoas, pelo fato de vivermos a dispensação da Graça, estão brincando achando que ficarão impunes! Pessoas estão comentando as mais terríveis barbaridades achando que um simples perdão da boca para fora resolverá o problema! Deus irá cobrar todos os nossos atos, sejam bons ou ruins. 

3. Ezequiel nos ensina que Deus triunfará no final e todos aqueles que se arrependerem de todo o coração serão restaurados. 

Eu quero te dizer, nesta sexta-feira, que hoje você pode estar sofrendo por consequência de seus pecados, hoje você pode estar no fundo do poço, hoje você pode estar com sua alma destruída, mas o Senhor ainda tem uma oportunidade para você! Se você estiver vivendo ossos secos por conta da desobediência, eles serão ajuntados e reintegrados ao rebanho. Precisamos estar prontos para receber ao Senhor e sermos tratados em nossas feridas.

Arrependa-se, entregue-se ao Senhor e esteja pronto para vivenciar coisas novas!

Que Deus te abençoe

Fique por dentro