quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Não se acomode na sua zona de conforto!


Amados irmãos, 
Que a Paz esteja convosco!

A Palavra do Senhor, Em Êxodo 1.6-11 diz: "Morreu, pois José, e todos os seus irmãos, e toda aquela geração. Depois os filhos de Israel frutificaram e aumentaram muito, multiplicaram-se e tornaram-se sobremaneira fortes, de moda que a terra se encheu deles. Entrementes se levantou sobre o Egito um novo rei, que não conhecera a José. Disse ele ao seu povo: Eis que o povo de Israel é mais numeroso e mais forte do que nós. Eia, usemos de astúcia para com ele, para que não se multiplique, e aconteça que, vindo guerra, ele também se ajunte com os nossos inimigos, e peleje contra nós e se retire da terra. Portanto puseram sobre eles maiorias de tributos, para os afligirem com suas cargas. Assim os israelitas edificaram para o Faraó cidades armazéns, Pitom e Ramessés.

Deus prometeu a Abraão, Isaque e Jacó a posse de uma terra muito fértil e produtiva, que eles receberiam por herança. Esta herança seria transferidas a seus decendentes como possessão perpétua, ou seja, para sempre. Porém, nos tempos em que José governou o Egito, uma fome e uma seca muito severa castigou todo o Oriente Médio, incluindo a terra prometida. 

Todos os povos orientais foram salvos por conta do estoque de excedentes que José armazenou durante os sete anos de abundância. Grandes celeiros espalharam por todo o Egito foi distribuído a todos os povos vizinhos e todos puderam passar ilesos ao período árido e de escassez. Quando José reencontrou os seus irmãos, toda a família do hebreu transfere-se para o Egito. Uma grande família e uma grande geração. O faraó, por amor a José, concedeu o melhor da terra e dos cargos egípcios à família de José. 

Entretando, vale mencionar que a terra que Deus prometeu à Abraão, Isaque e Jacó não foi o Egito, mas sim Canaã, que estava temporariamente inabitável por conta da seca. Qual seria a atitude esperada? Ao término da seca, eles voltariam para a sua terra, dada por Deus à toda aquela nação, terra boa e produtiva. Terra que pertencia a eles. 

Mas, não foi o que aconteceu! Os hebreus, talvez deslumbrados pela fama, glória, poder e riqueza de José... Talvez, deslumbrado com tudo o que poderiam usufruir do faraó... Decidiram ficar ali! E ali cresceram, e ali prosperaram! Não era para eles viverem no Egito e sim, passar pelo Egito apenas naquele momento difícil. 

Eles abriram mão da terra prometida, da bênção, acomodando-se em uma superficial zona de conforto e de segurança. Pode ser que pensaram: "Aqui está bom! Estamos crescendo, estamos prosperando, temos todas as regalias, somos 'amigos' do Faraó". Eles jamais imaginaram os problemas que estavam acarretando aos seus filhos e netos! José morreu, seus irmãos morreram, toda aquela geração morreu, o faraó morreu... E aí vieram os problemas! E aí veio a ecsravidão àquele povo. 

"Por isso os egípcios faziam os filhos de Israel servir com dureza; assim lhes amarguravam a vida com pesados serviços em barro e em tijolos, e com toda sorte de trabalho no campo, enfim com todo o seu serviço, em que os faziam servir com dureza". Êxodo 1.13 e 14.

Triste, não, meus irmãos? Talvez se aquelas famílias tivessem regressado á Canaã no término dos sete anos de escassez teriam se livrado de 430 anos de sofrimento e jugo. O Espírito Santo nos ensina nesta quarta-feira: Siga a direção de Deus! Não se acomode na sua zona de conforto! Amém?!

Que Deus te abençoe.

Abraços fraternais
Fábio Luiz.


Não desista

Elisama Figueiredo