domingo, 27 de julho de 2014

Voltará à vida!



Certa vez Dina, a filha de Jacó e de Léia, foi fazer uma visita a algumas moças daquele lugar. Hamor, o heveu, que era chefe daquela região, tinha um filho chamado Siquém. Este viu Dina, pegou-a e a forçou a ter relações com ele. Gênesis 34.1-2.




Graça e paz amados irmãos,
Faz ao tempo que Deus querendo que eu falasse sobre a história Diná.  Mas, quem era essa moça chamada Diná? Diná era única filha mulher de Jacó e de Léia, a Bíblia não fala nada sobre vida de Diná.
Bíblia conta-nos certo dia, ela, foi fazer uma visita a algumas moças daquele lugar. Diná eu credito tinha feito amizades com as moças idolatras, só essa visita teria uma conseqüências horríveis. Diná era jovem muito linda; essa beleza chamou atenção de homem chamado Siquém. Ele ficou enlouquecido pegou-a e a forçou a ter relações com ele.
Depois de passa por momentos horríveis e sentindo suja e vergonha e contou a sua família o que havia acontecido. E quando, os irmãos de Diná ficaram sabendo do acontecido ficaram irados Possi, naquela uma moça perde a virgindade antes do casamento era uma vergonha e uma desonra para sua família. O pai do jovem do que havia o abusado sexualmente Diná, foi pedi a mão em casamento, Siquém para aliviar a sua culpa e também por ama - lá. Mas, nada justifica essa violência horrível contra as mulheres!
Os irmãos de Diná tinham em mente um plano de vingança. Eles disseram:
-Você não pode se casar com a nossa irmã, só uma condição se todos os homens da cidade forem circuncidados.   
Só podemos aceitar com esta condição: que vocês fiquem como nós, quer dizer, que todos os seus homens sejam circuncidados. Aí, sim, vocês poderão casar com as nossas filhas, e nós casaremos com as filhas de vocês. Nós viveremos no meio de vocês, e seremos todo um povo só. Gênesis 34.15-16.

O que é era circuncisão?
Cerimônia religiosa em que é cortada a pele, chamada prepúcio, que cobre a ponta do órgão sexual masculino. Os meninos israelitas eram circuncidados no oitavo dia após o seu nascimento. A circuncisão era sinal da ALIANÇA que Deus fez com o povo de Israel (Gn 17.9-14). No NT o termo às vezes é usado para designar os israelitas (Gl 2.8; Cl 4.11; v. NTLH). Outras vezes significa a circuncisão espiritual, que resulta numa nova natureza, a qual é livre do poder das paixões carnais e obediente a Deus (Jr 4.4; Rm 2.29; Cl 2.11; Fp 3.3).
Eles aceitaram a condição e depois de três dias que todos os todos os homens daquela cidade ficaram fragilizados e com muita dor por causa, circuncisão; isso era comum em bebês judeus no oitavo dia de vida, para um homem fazer uma circuncisão era região muito sensível para qualquer homem.
Então Simão e Levi mataram todos os homens daquela cidade, depois da matança os filhos de Jacó roubaram todo e levaram a sua irmã de volta. Jacó ficou furioso repreendeu os seus filhos por causa, de tamanha violência.  Então Jacó disse a Simeão e a Levi:
– Vocês me puseram numa situação difícil. Agora os cananeus, os perizeus e todos os moradores destas terras vão ficar com ódio de mim. Eu não tenho muitos homens. Se eles se ajuntarem e me atacarem, a minha família inteira será morta. Gênesis 34. 30.
Algum me atenção ninguém nessa história se importou com a moça abusada sexualmente; o rapaz que comentou essa violência ele estava preocupado com os próprios sentimentos, os seus irmãos estavam preocupados com a sua vingança e seu pai estava preocupado com a reputação da família.
E com fica Dina nessa história? Uma mulher que foi vitima de abusos sexuais fica com feridas no corpo e na alma.
As conseqüências de uma pessoa que sofreu abusos:

Sartre disse que a vergonha é “a hemorragia da alma”. Um abuso sexual marca a pessoa ao ferro e fogo, a suja, a leva a esconder-se dos outros. A vergonha é uma mistura de medo da rejeição e cólera para com abusador, que não ousa se exprimir.
Sentindo-se envergonhada, a pessoa abusada tem duas soluções: desprezar-se a si própria ou desprezar o abusador e os semelhantes. Nos dois casos, o resultado é o mesmo: autodestruição, porque o ódio de si ou o ódio do outro são ambos destrutivos.
O desprezo por si próprio pode referir-se ao seu corpo, a sua sexualidade, a sua necessidade de amor, a sua pureza, a sua confiança.
O trabalho do corpo de Cristo:

O abuso sexual além de ser considerado pela lei com o crime é também um problema de saúde pública, cujos resultados imediatos e tardios para as vítimas englobam problemas físicos, emocionais, comportamentais e espirituais. O número de casos é subestimado nas pesquisas, pois na grande maioria não há uma denúncia oficial. A sociedade como um todo precisa se unir num esforço comum para diminuição da violência, e este tipo de problema deve ser abordado por diversos profissionais, de uma maneira interdisciplinar. A igreja cristã como instituição social não pode se abstiver desta responsabilidade. Seu papel vai desde a conscientização dos fieis em relação ao tema da violência até a recuperação espiritual e emocional das vítimas, através de aconselhamento pastoral. A redescoberta contemporânea do poder dos pequenos grupos é um desenvolvimento interessantíssimo nas igrejas, e o uso criativo destes grupos é uma das áreas mais promissoras do aconselhamento pastoral. Envolve não somente o pastor, mas também líderes leigos comprometidos e treinados e ainda, a comunidade como um todo, fazendo da igreja inteira um agente transformador das realidades sociais vigentes.

Considerações finais:

Amados irmãos e se vocês já sofreram ou conhece alguém que tenha sofrido abusos eu não posso imagina a dor e as feridas da alma que uma pessoa sente quando, sofre abusos. Essa dor na alma o único que pode curar é Jesus, não entendemos porque Deus permite que setas ruins aconteçam na suas vidas, mas, eu tenho que Deus sempre com você para nos ajudar. Deus não tira você do deserto, mas, ele passa com você no deserto!
Só o Senhor pode-te a vida novamente...

Abraços.

Louvor da semana