domingo, 19 de outubro de 2014

Escolha a melhor parte


   Irmãos e amigos,
   Que a paz esteja convosco!

   Para iniciar nossa meditação na Palavra de Deus, vamos ler um texto da Palavra de Deus que encontra-se em Daniel 1.8:

"Daniel propôs em seu coração de não se contaminar com a porção da comida do rei, nem com o vinho que devia beber; pediu portanto ao principal dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar".

    Na nossa ministração de hoje, o Espírito do Senhor nos levará a uma reflexão sobre os frutos da obediência, sobre os benefícios de permanecermos fiéis a vontade de Deus e ao seu propósito para nossas vidas.
   Daniel e os três jovens, Sadraque, Mesaque e Abedenego estavam na Babilônia na qualidade de escravos. No começo do texto Daniel, podemos ver que o rei Nabucodonosor manda o chefe dos eunucos, isto é, chefe dos oficiais do palácio, escolher da linha nobre de Israel homens de caráter, fortes e sábios para trabalhar no serviço do palácio, preparando-os e ensinando-os por três anos para que eles pudessem exercer a sua função. 
     Entre os jovens escolhidos estava Daniel e seus amigos. O rei concedeu a eles um privilégio inigualável, comer dos manjares do rei e beber do vinho do rei. Talvez, de todos os babilônicos e hebreus cativos, apenas estes jovens escolhidos a dedo receberam este privilégio. 
    Privilégio para poucos, exceto Daniel e seus amigos, que dentre todos aqueles jovens escolheram não se contaminar com o banquete do rei. Em outras versões das Sagradas Escrituras, está escrito que "Daniel decidiu firmemente não se contaminar". Isto significa que Daniel estava decidido em seu coração, estava resolutamente determinado, custasse o que custasse, viesse o que viesse. Em outras palavras, ele estava disposto a sacrificar sua própria vida a desobedecer o Senhor, pois recusar um convite do rei era visto como uma afronta a autoridade do homem mais poderoso da antiguidade.
    O chefe dos eunucos ficou preocupado com esta situação, pois o fato de Daniel e seus amigos se absterem da alimentação real, poderia trazer fraqueza e até mesmo uma anemia, desagradando ao rei, mas o Espírito do Senhor, que estava na vida daqueles quatro jovens, capacitou Daniel com toda a sabedoria e diligência para resolver o problema. Daniel propôs um teste de dez dias com uma dieta de vegetais e agua. 
      Meus irmãos, fazendo um parênteses com o nosso cotidiano, será que estamos realmente dispostos a recusar o banquete do rei? A história de Daniel se passa durante os 70 anos do cativeiro hebreu na Babilônia, a maior potência política e econômica da época... Não era qualquer banquete! Era um banquete com tudo o que havia de melhor e mais saboroso da época, mas era consagrado à idolatria, era proibido aos servos de Deus.
     Será que hoje nós estamos dispostos, decididos firmemente a recusar o banquete que o princípe deste mundo nos oferece diariamente? Aquela promoção que tanto almejamos e que pode nos afastar de Deus... Aquele relacionamento perigoso e pecaminoso... Aquela proposta de dinheiro fácil... Aquela liquidação imperdível na loja de departamentos, que vai consumir toda a nossa finança... 
      O chefe dos eunucos tentou iludir Daniel e seus amigos, fazendo-os acreditar que sem o banquete eles ficariam fracos, desnutridos... Assim também procede conosco! O inimigo nos faz trabalharmos excessivamente para acreditarmos que com mais dinheiro seremos mais fortes. Nos faz gastar fortunas com câmeras de segurança, cerca elétrica, grades, nos fazendo acreditar que precisamos disso para ficar mais protegidos. Nos faz infringir a lei, sonegando impostos, nos fazendo acreditar que essas práticas farão com que sobre mais dinheiro. Nos faz acreditar que ir ao médico semanalmente e tomar rios de remédios teremos nossa saúde preservada. Nos faz acreditar que com cirurgias plásticas e tratamento estéticos seremos mais felizes. Nos faz acreditar que ostentando coisas aumentará nosso status social. Nos faz acreditar que precisamos do banquete para sermos fortes!
     Voltando a nossa história, meus amados irmãos, sabem o que aconteceu com Daniel e os amigos ao final daqueles dez dias de experiência vegetariana? Estavam mais fortes, mais robustos, mais saudáveis dos que os outros! É assim meus amados, que o Senhor trabalho em nossa vida! Ele está no controle de tudo. Você não precisa gastar uma fortuna que você não tem, para fazer uma viagem de férias porque você acha que precisa fazer isso para descansar e se sentir bem! Não! Você precisa colocar sua vida nas mãos do Senhor, obedecê-Lo de todo o seu coração e confiar que Ele fará o melhor para você. Milagre! O Sobrenatural de Deus acontece na vida daqueles que obedecem ao Seu chamado. 
      Àqueles jovens foi imposta duas opções: se fartas do banquete do rei até lamber os beiços ou viver um propósito muito maior do que a idolatria babilônica! Daniel, escolheu o propósito! E nos ensinou, que a melhor opção de nossas vidas é escolher o propósito. 
     Aqueles mesmos jovens foram muito abençoados! Na Igreja que faço parte, estamos no propósito do mês de boas-novas. E são estas boas-novas que aqueles jovens viveram! Eles não apenas estavam mais fortes, saudáveis e robustos! Deus fez deles, os mais sábios, inteligentes! A Palavra de Deus conclui o capítulo afirmando que aqueles homens eram dez vezes mais sábios que os mestres e doutores, que os astrólogos da Babilônia! 
      É assim meus irmãos, que Deus faz com aqueles que são fieis a Ele! Eu quero profetizar sobre a vida de todos aqueles que estão recebendo esta Palavra: Que o Senhor se manifeste poderosamente a você! Que um novo tempo, de boas-novas comece em sua vida! Fique firme e obedeça a Deus em todas as coisas.
      Que o Senhor abençoe a cada vida.

     Abraços fraternais,
     Fábio Luiz.    

Louvor da semana

Pedidos de oração

Nome

E-mail *

Mensagem *